7 motivos para ser desenvolvedor numa software house

por 
SevenApps
July 6, 2022
5min de leitura

Liberdade. Ambição. Vontade de mudar o mundo. Paixão por computação. Gostar de games. Ganhar bem.


Todas essas respostas são de desenvolvedores que trabalham para uma software house explicando por que eles fizeram essa escolha. 


Não é para menos, hoje a carreira como desenvolvedor está em alta e os salários podem começar em R$ 3 mil (para quem é iniciante) e ficar acima de R$ 10 mil para posições sênior (com mais de 5 anos de mercado). E o dinheiro não é o único atrativo. 


Entrevistamos desenvolvedores de uma software house e listamos 7 motivos pelos quais você deveria considerar se tornar um desenvolvedor em uma software house


  1. Freedom: liberdade para trabalhar de onde quiser 


                      "Eles podem tirar nossas vidas, mas jamais irão tirar nossa liberdade"


Um levantamento feito em 2018 pelo IBGE mostrou que 3,8 milhões de brasileiros já trabalhavam de forma remota. E a tendência é que esse número só cresça. 


Alguns motivos levam as pessoas a preferir o home office. A vontade de ser livre para trabalhar de onde quiser - de um Airbnb nas montanhas até o quarto da casa dos pais, sem precisar “bater crachá” todos os dias. Na maior parte das vezes o trabalho como desenvolvedor é remoto e a tendência é que continue assim


Os horários flexíveis permitem que você trabalhe no seu período mais produtivo (a galera do Corujão tá presente?). Além de não perder tempo no trânsito e já estar em casa ao fim do expediente. 


A tendência é no mundo todo. Uma pesquisa com 3.500 trabalhadores no mundo mostrou que 98% de quem trabalha em home office quer permanecer assim (Fonte: The State of Remote Work por Buffer).


“Uma pesquisa com 3.500 trabalhadores no mundo mostrou que 98% de quem trabalha em home office quer permanecer assim.”



  1. Cada job um novo desafio  


Quando se é desenvolvedor em uma software house os projetos podem variar da criação de um app de delivery até um sistema de gestão de estoque.


Os jobs variam, assim como os clientes e as áreas. Em comum: o desafio de resolver problemas de TI! 


Para o Filipe, dev em uma software house, a programação significa “inovação, treinar a mente, melhorar a forma de pensar e a capacidade de resolver problemas!”. 


Em resumo, a programação é uma ciência que ensina a pensar. 


Se você curte desafios e quer sempre aprender coisas novas, o seu lugar é como programador em uma software house.


  1. Fazer parte de um squad



A fama de gostar da solidão acompanha boa parte dos devs, que são vistas como pessoas mais introspectivas. Isso não quer dizer que você não poderá formar sua comunidade dentro da software house.  


Você pode (e deve!) se conectar a outros devs (online e em encontros presenciais pontuais). Aprender a trabalhar em grupo é fundamental para se sair bem em qualquer profissão! Você é muito bom em UX? Que bom! Tem alguém na sua equipe que é muito bom em outra área e vocês podem trocar figurinhas. 


Melhor ainda quando os líderes também são de TI e podem te guiar sabendo como é este universo, quais são as suas dificuldades e caminhos de aprendizado.


O Thiago trabalha como Dev Flutter em uma software house e diz que seu squad é tão unido que parece a turma de amigos do colégio. “É como aquela galera que você mais se dá bem, os amigos do melhor ano do Ensino Médio, do tipo que você bate no peito e diz ‘esses aqui são tops’!” 


Lindo, né? 😍😍😍


  1. Mudar o mundo “codando”


                                             Para aqueles que estão mudando o mundo

Ainda que não seja uma carreira óbvia no quesito “mudar o mundo”, a programação é uma ferramenta poderosa de transformação da sociedade. Um ambiente propício para fazer isso é atuando numa software house com princípios alinhados ao seu. 


Grandes soluções de tecnologia que têm impacto sócio, econômico e ambiental foram criadas por desenvolvedores. É o caso, por exemplo, de uma plataforma que recebe óleo de cozinha usado e transforma em pontos para serem trocados por produtos - sem a programação ela não existiria. 


A transformação social também acontece de fora para dentro. “Foi uma virada na minha vida, nem imagino onde estaria hoje sem a programação, ainda mais sendo de uma cidade pequena e sem oportunidades”, disse o programador João Alberto, React Developer em uma software house. 


Milhares de jovens na periferia recebem aulas de programação de voluntários e organizações sem fins lucrativos. Assim como a música e o esporte, a tecnologia hoje é uma forma de mudar de vida e alcançar novas oportunidades.


  1. Escolher uma das profissões do futuro (e não ter medo do desemprego)



Tecnologia da Informação é o presente e o futuro do mercado de trabalho. Quer ver só? 


Para começar, só no estado de São Paulo as vagas no setor de TI cresceram 671% em 2020 segundo levantamento da Catho. Cientista de dados e desenvolvedor.NET são as duas principais carreiras mais buscadas pelas empresas.


Das 21 profissões do futuro, pelo menos 11 estão diretamente ligadas à Tecnologia da Informação (tais como Investigador de Dados e Facilitador de TI). A autoria do estudo é da multinacional de tecnologia Cognizant que estudou por dois anos o mercado de trabalho para prever tendências que estarão em voga até 2028. 


“Das 11 profissões do futuro, pelo menos 11 estão diretamente ligadas à Tecnologia da Informação.”


Software houses precisam de times completos, capacitados em diferentes tipos de tecnologias, assim você pode combinar o seu conhecimento a de outros programadores para realizar os projetos.


  1. Trilhar carreira internacional 

                                                               "Ao infinito e além!"


Trabalho remoto somado a linguagens que ultrapassam fronteiras, é assim que a carreira de dev pode te levar a trilhar uma carreira também fora do Brasil. 


Muitas softwares houses trabalham com projetos de clientes internacionais e se este é um sonho seu, fique de olho nas oportunidades e decole!

 

Ao escolher a software house busque aquela que já tem clientes estrangeiros e/ou sede fora do país. Na entrevista, deixe claro o seu desejo e lembre-se de também estudar inglês, que será um grande diferencial. 

Países como Canadá, Alemanha e EUA estão entre os que mais contratam programadores estrangeiros. 


“Países como Canadá, Alemanha e EUA estão entre os que mais contratam programadores estrangeiros.”


  1. Ganhar bem e crescer 



Os salários de desenvolvedores estão entre os mais altos no Brasil. O Blog Geek Hunter fez um levantamento e a média salarial varia entre R$ 2.460 a R$ 11.000 mensais. O valor varia de acordo com o tipo de linguagem de programação em que o dev é especializado. Segundo o levantamento, a área mais bem paga é programação Elixir/Go/Scala. 


Mesmo na crise, a carreira continua em alta. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Brasil (CAGED) mostrou que em 2020 a demanda por programadores cresceu e muito por conta da possibilidade do trabalho remoto - agora os clientes buscam desenvolvedores não só nos centros urbanos. 


Fazer parte da equipe de uma software house possibilita que você foque no trabalho e deixe a busca por clientes com a administração. Enquanto você administra o seu crescimento como desenvolvedor. 


Peraí, mas você sabe…


O QUE É UMA SOFTWARE HOUSE?


Em poucas palavras, software house é a empresa que faz sites, aplicativos, sistemas e tudo o que envolve o desenvolvimento de softwares


Uma espécie de agência de publicidade que em vez de propagandas cria soluções de TI. Existem software houses especializadas em determinadas áreas ou generalistas - que fazem trabalhos de várias áreas aplicando soluções distintas.


É o caso da SevenApps, que tem como missão criar a verdadeira revolução digital desenvolvendo apps, sistemas, banco de dados e fazendo alocação de squads. Com sedes em Belo Horizonte (MG) e Miami, nos Estados Unidos, a Seven tem mais de 40.000 mil horas de desenvolvimento somadas.


Na SevenApps, existem infinitas oportunidades para devs com trabalho remoto, possibilidade de trabalho internacional, crescimento rápido e boa remuneração. Os líderes - Gabriel e André - são programadores e entendem muito bem este universo. 


Todos os depoimentos usados neste artigo são reais e foram dados por desenvolvedores que trabalham na SevenApps. 


Para o João Lucas, que é desenvolvedor web e mobile, a SevenApps é “catalisadora para realizar ideias, objetivos e até mesmo sonhos, sejam dos clientes e dos colaboradores.”


Pessoas cheias de vontade e entusiasmo que querem construir um mundo digital mais inclusivo. Não importa onde você esteja, entre em contato hoje com a SevenApps e se torne um programador Seven!